17 junho 2009

Rua José Falcão

Posted by Picasa

8 comentários:

Pedro disse...

Quem vê este prédio, mal tratado, não imagina a pérola que é o seu interior!
Tenho memórias, enterradas, aqui e dói-me ver o seu estado..

Rui Valente disse...

Curioso, caro Pedro

esta casa também me é algo "familiar". Se bem me lembro ali funcionou uma empresa, suponho que de embalagens de cartão, cujo proprietário era pai de um amigo meu. Estarei a fazer confusão?

Esse meu amigo chamava-se Mário Rui Barbosa. O nome diz-lhe alguma coisa?

Pedro disse...

Caro Rui,
De facto, há uma confusão de metros...
A casa do Pai do Mário Rui, amigo comum, pelos vistos, era mais abaixo. Esta, que comentei, pertencia à minha família e mantém o nome e actividade, mesmo que noutras mãos. É(era) de embalagens também mas, fabril. Valeria a pena, fotografar, o seu interior, porque há coisas que são eternas... Tem umas belas colunas em ferro e uma galeria e escadaria belíssimas. Ao seu dispor.

Rui Valente disse...

Caro Pedro

o mundo é mesmo pequeno. Eu conheci o Mário Rui (e o irmão mais novo) na Aguda, praia onde passávamos regularmente as férias de Verão. Também por lá conheci o Júlio Machado Vaz, os irmãos Sarbib,o João [que nunca mais vi) e o André que ainda está ligado à música [como o falecido pai, Roger]. Muito obrigado pelo seu convite, talvez um dia destes possamos voltar ao tema.

Pedro disse...

Caro Rui,

O mundo, é mesmo, muito pequeno! Conheço-os todos! Com um deles, existem laços de família. Há uns anos, ainda falei com o Sarbib - o que está cá - que, curiosamente é Pai de uma grande amiga de, uma das minhas filhas! Mundo pequeno, mesmo!
Quanto ao voltar ao tema, é uma questão de disponibilidade, da sua parte.

Rui Valente disse...

Okey,mais uma vez, obrigado.

Soube, que o João Sarbib tinha ido para os EUA, e nunca mais ouvi falar dele. O André, ainda anda por aí e vai de vez em quando à televisão, tal como o Júlio...

Pedro disse...

O João, está em Nova Iorque, onde faz uma carreira brilhante, na música. No jazz, mais especificamente.Vem cá, de vez em quando e vou tendo noticias, através da sobrinha que vai, muitas vezes, até lá. O Júlio, tornou-se no comunicador público que se antevia... É parecido com o tio, na sua forma de falar e de estar.untso

Anónimo disse...

Poderia-me contar as histórias desta casa?